PT
PT
EN

Delimitação:

A Área de Reabilitação Urbana de Campanhã - Estação é delimitada a norte pela praça das Flores e avenida 25 de Abril, a sul pela avenida de Paiva Couceiro, a nascente pela VCI e tramo final da estrada da Circunvalação e a poente pelo tardoz da frente urbana da rua do Bonfim, travessa e pela rua das Eirinhas, ruas do Monte do Bonfim, de António Carneiro, do Barão de Nova Sintra, e limite da linha férrea até à ponte de São João.


Caracterização:

Área: 143 ha;

Habitantes: 6.067 habitantes (2011);

Edifícios: 1287;

  • 1151 Edifícios estão afetos a habitação, dos quais 870 são exclusivamente habitacionais e 281 apresentam um uso misto;
  • 208 edifícios possuem funções de uso comercial, dos quais apenas 9 são exclusivamente comerciais e 199 partilham as suas funções com outros usos;
  • 153 edifícios de habitação devolutos (cerca de 12% do parque edificado), com uma área total de implantação de 6 009 m2.

Ilhas - 90 unidades (5 desabitadas), perfazendo um total de 842 fogos e ocupando cerca de 65.000 m2, o que representa cerca de 5% da área do território;

Atividade económica - 292 micro e pequenas empresas, agrupadas em serviços, hotelaria, comércio, restauração, industria e oficinas;

Espaços industriais desativados e aos outros espaços industriais, armazéns e oficinas - 142.400 m2 de área de implantação (cerca de 10% da ARU);

Vazios urbanos - 36 unidades que perfazem cerca de 11ha (109.028 m2),que correspondem a cerca de 8% do território da ARU.

Objetivos estratégicos a prosseguir:

Melhorar as condições habitacionais e de bem-estar dos atuais residentes, contribuindo para o reforço da atratividade residencial;

Estruturar o território e requalificar os tecidos urbanos;

Dinamizar as atividades económicas e induzir um novo polo de criatividade urbana;

Renovar a imagem da zona oriental desenvolvendo iniciativas e projetos inovadores;

Implementar um modelo de intervenção integrado eficiente e participado.

Projetos estruturantes

  • PE1 - Construção e consolidação de duas fortes áreas empresariais, a norte e a sul da área de intervenção complementares e compatíveis com novos usos;
  • PE2 - Construção do Terminal Intermodal Rodoviário em articulação com a nova frente do Interface de Campanhã e com o espaço envolvente (obra iniciada em 23 de Setembro, com prazo de execução de 635 dias;
  • PE3 - Resolução dos graves problemas habitacionais e de salubridade pública, de degradação e abandono do edificado, e recomposição dos tecidos urbanos;
  • PE4 - Construção de uma estrutura verde articulada com a estrutura verde da cidade;
  • PE5 - Melhoria das condições de mobilidade interna, com as zonas adjacentes e com o centro da cidade;
  • PE6 - Requalificação do espaço público, das infraestruturas, equipamentos e edifícios notáveis;
  • PE7 - Criação de uma rede pedonal e ciclável;
  • PE8 - (Re)criar Redes de Emancipação Social: Habitação, Emprego, Saúde, Apoio Social e Educação;
  • PE9 - Consolidação e desenvolvimento da rede e do funcionamento de equipamentos educativos, desportivos e culturais;
  • PE10 - Participação cidadã e articulação de diferentes atores e níveis de intervenção